quarta-feira, 28 de julho de 2010

uma eternidade.


Nunca fui de me importar, de acreditar em promessas, nunca fiz questão que alguém me ligasse no dia seguinte, sempre tirei o melhor proveito de cada situação.
Guardei meus "quase amores" em uma estante, os entiquetei, cada um com sua importância, sua história, o que aprendi, onde errei, tudo que mais importava.
Eu tinha na minha frente uma coletânea de "quase amores" esquecidos, todas minhas grandes paixões de dois meses estavam ali.
E nem se eu juntasse cada uma delas, nem se eu juntasse a qualidade de todos esses rapazes que ali estavam, eu arranjaria um motivo para acreditar no pra sempre.
Não foi um sorriso que me convenceu, nem uma das frases feitas ditas até hoje me paralizaram, foram anos procurando aquilo que eu chamo de extraordinário.
Um sorriso, um olhar, um beijo, o amor, o que te faz acordar todos os dias e procurar um rosto, um corpo, um abraço e desejar isso com todas as suas forças, cada vez que você acorda.
Muito mais forte que qualquer coisa, caminhar lado a lado, sem se importar com os meses passando, as pessoas indo e vindo, não ousar virar a cabeça para olhar pro lado, pois tudo que você precisa, está ali, na sua frente.
Parar finalmente de reclamar do tempo passando, pois agora enquanto ele passa existe alguém que te faz feliz cada minuto dele.
Quero envelhecer com um amor de uma jovem, quero viver para sempre assim.
Mas primeiro, preciso parar com essa minha mania insuportável de colecionar "quase amores", é tão vazio.
Agora, mais do que nunca, eu quero algo que me faça acreditar, sem prasos de dois meses, sem que o outro queira olhar pro lado.
Quero ser pela primeira vez, tudo que alguém procura, e estar logo ali na frente.

sábado, 24 de julho de 2010

Guri

Dizem que as noites quentes contém uma certa magia, não acreditava nisso até ontem, mesmo porque a noite nem estava tão quente assim.
Um sorriso timido, poucas palavras, jeito calado. Guri, tu tem tudo que me atrai, enquanto todos falam alto, ficam com seus cigarros e cervejas, você ficou lá, quetinho, rindo de piadas baixinho das piadas, esperando só uma brexa pra se enturmar.
Minha vontade era de falar "Vem, se enturme, eu sei que você acabou de me conhecer, eu não mordo, não sempre, eu prometo, converse, eu quero ouvir sua voz". Mas não precisei se quer abrir a boca, você entendeu o recado, te dei espaço e você soube aproveita-los.
Me encantou com suas brincadeiras, seu olhar de quem muito sabe sem pouco viver, é dificil explicar sobre a quimica.
Tive vontade de te abraçar e não soltar mais, mas na primeira oportunidade te soltei, tive vontade de te beijar, mas virei a cara, tive vontade de te por num potinho, mas te deixei ir.
Não demora pra aparecer e dar sinal de vida guri, tu mexeu comigo, você sabe disso. E prometo que se você aparecer de novo, não deixarei você ir, não vou soltar e não vou virar o rosto.
Te quero guri, te quero.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Dias de chuva

Lá fora ainda chove, não tem como controlar meus pensamentos, eles são seus.
Ainda estou aqui próxima ao telefone, observando cada gotinha que pinta os vidros da minha janela, esperando qualquer sinal seu, e nada de você ligar.
Procuro alguma coisa, qualquer minimo detalhe que me leve até você, amor, que eu não sei quem é, mas ja aperta meu peito de saudades.
Sonho acordada, imagino rostos, timbres de vozes sussurando as mais belas frases feitas nos meus ouvidos, imagino um sorriso no meu rosto, um sorriso no seu rosto, por onde você anda meu anjo, quais caminhos que você percorre que ainda não cruzaram com o meu ?
Sinto até um ciúmes besta, imaginando que talvez agora você esteja com a mulher errada, a que não te fará feliz o bastante, a que um dia te dispensará enquanto eu estou aqui, tão sozinha, querendo te dar todo meu mundo, tolice, eu sei, mas eu sinto oras.
Eu tenho medo da chuva, vem, me encontre, me de a mão e não solte, me faz sua, ai Deus, por onde anda "ele", que a tanto tempo eu espero ?
Me beije, me faça sua, tire minha roupa, tire meu fôlego, não vá mais embora, eu nunca te deixaria.
Em dias de chuva, assim como este, eu sinto sua falta, vem logo. " To te esperando, ve se não vai demorar "

sexta-feira, 2 de julho de 2010

desabafo

Eu queria reclamar um pouco menos de tudo, queria ser um pouco mais forte, a dois meses a vida perdeu o rumo, perdeu o sentido, tiram de mim a única coisa que realmente me fazia bem, o amor.
Não é fácil admitir isso, mas eu amo ou amei de um jeito que marcou em mim, um jeito que me fez ver um mundo melhor, me fez ter motivos para amar minha rotina, era tão bom acordar e sorrir, ir pra escola e sorrir, te ligar e sorrir, te esperar e sorrir, te ver e sorrir, te beijar e sorrir, era tão bom ser a mulher mais feliz do mundo, era tão bom conseguir vencer tudo que me chatiava, pois eu sabia que nada era mais forte que meu amor, e ainda nada mais é, nada conseguiu superar isso ainda.
Nunca desejei tanto alguém, nunca quis tanto uma compania para a vida toda, nunca foi tãão bom viver. Eu me desdobrava, fazia tudo sem pensar em mim, pois minha vida se resumia basicamente a você, era tudo que eu precisava.
Eu mudei muito, me tornei uma pessoa melhor e te agradeço por isso, as pessoas que me vem hoje dizem não me conhecer mais, e eu só sei dar um sorriso amarelo, pois me falta algo.
A muito tempo perdi a vontade, nada mais consegue me fazer sentir viva, e acredite, eu era a pessoa mais viva do mundo.
Não deveria estar escrevendo esse texto, são palavras que rasgam a minha alma, que me atormentam a todo segundo, mas deveriam ficar trancadas num lugar escuro e apertado do meu peito, onde aos poucos adormeceriam até um dia morrerem para sempre.
Mas alguma coisa, me fez escrever, minha fraquesa talvez, num momento ruim do meu dia elas não aguentaram e sairam assim, como se fosse fácil proclamar um sentimento tão forte.
Eu sinto saudades, a maior do mundo, mas não quero te ver, não quero sentir seu cheiro, olhar seus olhos e saber que não é meu, não gosto de perder, e te perdi.
"Você foi a minha vida, mas eu sou apenas um capítulo da sua " mas uma hora vai passar, tem que passar, um dia a rotina que agora é estupidamente sem graça me arrancará sorrisos, não queria que essas palavras chegassem até você, queria apenas tira-las de mim.
Continua feliz, viva feliz, seja sempre o melhor que você pode ser em tudo, não tenha medo de errar, o erro leva a a vitoria.
Eu te amei, eu te amo, e isso cada dia se torna menos, um sentimento que agonisa e vai acabar morrendo.
Por isso escrevo, pra arranca-lo de mim, termino aqui meu desabafo, junto com algumas lágrimas que espero que sejam ultimas.

Ah o amor !

Sinceramente, vir aqui, despejar meia dúzia de palavras que revelam o quanto minha vida está difícil, o quanto a rotina é insuportável e o quanto me falta tantas coisas é muito fácil, por isso hoje eu resolvi falar de amor.
Amor é relativo, é sincero, amor é vida, ninguém vive se não ama, ninguém é feliz se não ama, ninguém abre um sorriso se não amar ao menos uma vez na vida.
Amor não é só homem e mulher, amor é tudo. Amar quem está sempre com você, amar detalhes, amar defeitos, amar fámilia, amar amigos, amar as coisas que te cercam, amar o que faz, amar um sonho, amar uma vitoria. Amar Amar Amar.
As pessoas vivem reclamando da vida, dizem tantos " eu odeio " " eu não suporto " tanta amargura saída de uma boca sem amor.
É preciso descobrir os detalhes para amar algo, conheça cada pouquinho, cada virgula, ponto, palavra, se você souber como é por inteiro e ainda assim sentir algo bom, é amor.
O amor torna a vida mais fácil, a rotina menos massante, torna o céu mais azul, o perfume único, o amor é puro, o amor é cor de rosa, o amor não tem preconceitos, nao tem fronteiras, não tem dia nem hora.
Ele é assim, completo, bonito, tao simples e tão complexo.
Ah, o amor !